15 de abr de 2009

Pitada de Sal


Apesar de todas as recomendações, nao consigo parar de comer chocolate. Por enquanto, não sou gordo nem obeso. Mas é difícil parar de comer. Chocolate em barra, em pó, em calda. Em casa, no trabalho, na igreja, debaixo da mesa. Pipoca com chocolate, banana com chocolate, xucrutis com chocolate, uma casa de chocolate.

Mas a vida encurta com tanto chocolate, eu sei que encurta. Assim como encurta com o cigarro, com a bebida e com o suicídio. Encaro assim: antes morrer feliz que morrer magro, triste e sem graça. Chocolate tráz felicidade, galera!!! wuhuuuuu!

Mas é o seguinte, vou revelar um segredo. A pitada de sal. Sabe aquela pitadinha de sal que a vovó põe no bolo, na torta, na fralda?É o segredo. O sal equilibra a briga no seu corpo. O açúcar é um gordinho safado, preguiçoso e ordinário que fica lá dentro tirando onda de bonitão e casquinha do seu estômago, rim e instestino, e que no fim joga a bagunça toda pro reto. Já o sal é um bixinho magrinho, forte e disposto. Quando entra no corpo desbanca o açúcar.

Por isso é só uma pitada. É o necessário. Daí a expressão "tudo que é exagero faz mal". Um dia resolveram acabar com o mal do açúcar, entupiram um coitado de sal. Quase morreu desidratado. O sal tem que ser na pitada certa. Ele entra no corpo empenhado em morrer pela causa. Como entra em desvantagem, acaba perdendo. Esse sim é o destino do sal, a morte. Mas é só vovó errar na mão, báu báu açúcar.

Coma chocolate à vontade. Na hora do aperto, pitada de sal. Mexa devagar. Equilibre o jogo. Não deixe o gordinho saliente achar que ele que manda. É ele que manda. Mas não deixe ele achar.

2 comentários:

Iula disse...

Hehe.Me faz rir, amor. Vc é um amante dos doces!!! =D Amo você, meu escritor de primeira!

Dai disse...

Ainda bem que desse mal eu não morro. Nem ligo pra doce.

ufa!

beijo