14 de jan de 2007

Cinema pra se ver em casa.


Hoje vou de cinema pra se ver em casa. Consegui ver dois filmes muito bons e que valem a recomendaçao. É uma pena eu (e quem não viu) não ter visto na telona. Pra quem não viu, em lugar nenhum, vão as dicas.

O primeiro é "Paradise Now", um drama dirigido e roteirizado por Hany Abu-Assady. Foi indicado ao Oscar e ganhou prêmios em vários festivais, como o Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro e o European Film Award de Melhor Roteiro. É a história de dois palestinos recrutados para serem homens-bombas em um atentado contra Israel. O mais bacana é a visão humana que o diretor dá aos suicidas, pois o filme mostra justamente como é a vida de dois palestinos antes de morrerem por bombas presas ao corpo . Provoca a discussão sobre os motivos que levam as pessoas a promoverem estes atentados, nos faz pensar sobre a legitimidade deste tipo de missão e o quanto as pessoas envolvidas nestas situações, muitas das vezes, são vítimas também. Outra peculiaridade que me agrada neste filme são os diálogos, que em muitas ocasiões são somente o silêncio. Aliás, o filme é todo peculiar e por isso vale a pena ser visto!

O segundo, pra mim, é uma obra de arte. Se chama "Clube da Lua", de Juan José Campanella, o mesmo diretor de "O Filho da Noiva". O filme volta ao passado e narra a história dos dias de glória de um clube de dança em Buenos Aires da década de 40. Porém, em 1990, o clube encontra-se decadente e ameaçado de fechar as portas. A questão se agrava quando, à beira da falência, fundadores e descendentes tentam evitar com que o clube se transforme em um cassino. É uma obra de arte pela simplicidade com que é contado e mostrado tudo. Os personagens e seus dramas, romances, infidelidades, compaixões. O cenário é ótimo, fotografia simples mas de um capricho só! Um filme cheio de simplicidades ímpares!

Não vou contar mais sobre os dois, até porque a intenção aqui não foi de desvendar nenhum enigma e sim compartilhar duas boas experiências com a telinha. Espero que assistam e gostem (quem ainda nao gostou!).

Um comentário:

neyla disse...

bem que o senhor poderia vê-los comigo novamente, né?
já que são tão bons, seria bom ver de novo!
hehehe