9 de dez de 2009

Entre a Vida e o Sonho (Parte III)














E todos os sonhos seguintes
Eram como o sonho primeiro.
Sem consagrar o amor,
Só o calor e o cheiro.

Até o dia da última noite 

Da noite sem sonho, sem deusa.
Da noite confusa
Sem calor e sem musa.

Noite sem fim.

Noite assim não podia.
A paixão figurava em ti.
Àquela noite, noite vazia.

Perto do dia, acordou meio estranho

Com a deusa ao seu lado,
Convidando-o a viver uma outra verdade,
Outra realidade, entre a vida e o sonho.

                        

2 comentários:

iula disse...

Gostei muito, meu bem.

vera -feliz da vida e aprovada em mais um semestre.. disse...

E, eu também, prá lá de lindo Lucão!
Nada de melosidade demais, mas ficou real e sincero. Bom demais e estou atirada nas cordas....hehehe, passei de semestre, ganhei elogios das profas e profos e vendo os gabaritos, com buenas notas.
Ah! A vida é boa.
Deu certo estudar até às cinco da matina. Aprovadaaaaa!
Beijos prá IULA e abraçasso no LUCÃO.
vERA, A AMIGA GAÚCHA.