18 de mai de 2009

Velho Moreira: O Profeta



No boteco do Djalma, amigos, cerveja e futebol na mesa.


- Anota o que eu tô dizendo, pessoal. Esse ano não dá outra. Dá Vasco.

- Da segundona, Moreira? Estamos falando da elite e você vem falar de segundona, Moreira?

- Só anota. Só anota – dizia o velho.

- E que time é esse o coringão, eim! O cara também é um fenômeno.

- Esse ano é mesmo o da redenção do timão.

- Poderia até ser, se não fosse a Lusa.

- Lusa, Moreira? O que tem a Lusa?

- Pô, Moreira, Segundona de novo?

- Só anota. Só anota.

- Ei! Tem o Flamengo, pô. Agora com o imperador... Sei não eim?!

- Também não sei não. Vai ter que jogar muito.

- Pois anota essa também. O canhoto vai arrebentar e ainda vai ser artilheiro da Copa esse ano. Só anota. Só anota.

- Pô, Moreira. A Copa é ano que vem. Deixa o cara jogar primeiro, Moreira.

- Tô falando! Só anota. Só anota.

- O Moreira parou no tempo. Só pode.

- Uma dentro, Moreira. Só uma dentro.


Coitado do Moreira. Não é velhice. É saudade daquele tempo em que o futebol era só paixão. Que caboclo tinha que suar a camisa. O craque só seria craque se fosse mesmo um craque e pronto. Do tempo do Pelé, Garrincha, Sócrates, Tostão. Que safra! Mas esse tempo foi embora e dele só restou o Moreiro, o velho profeta. Porém, Moreira também é do tempo que malandro não dava ponto sem nó.


- Moreira! Sua mulher no telefone.

- Xiii! Que marcação, eim profeta!

- Olha a pressão, Moreira!
- Pô, Moreira! É homem a homem?

- Ei! Onde o Moreira vai?

- Volta aqui, Moreira! Não vai pagar a conta?

- Só anota, Djalma. Só anota.

Um comentário:

Iula disse...

hehe! Final inesperado, meu bem. =*