26 de nov de 2009

Com Fusão














Eu, 
Que gosto docê,
Que gosta de mim,
Que gosto docê e de mim.

Você, 

Que gosta de mim,
Que gosto docê,
Que gosta de mim e docê.

Nós,

Que gostamos tanto,
Desse monte de gosto,
E de gostar desse tanto sem fim.

Não sei.

Só sei que é bom
Gostar de um tanto,
Que nem dá mais pra gente sabê
se é bom ou ruim.

6 comentários:

Anônimo disse...

Essa fusão da con-fusão é muito boa: gostar docê. Pareceu palavreado de mineiro, bem autêntico e original. Gostei.
Abraços e sucesso.
Rubo Medina

Vera Linden disse...

Lucão,
Tu és demaisss, guri. Há muitas décadas não me encantava tanto por um texto como o teu! Putzgrila, és um mestre. Adorei e vou virar tua leitora, me dá licença.

Mineiro??!! Acho que não, embora eu seja fã da mineirada. Gaúcho? Paulista? Bem, o que importa. Podias ser até da Esbórnia, pois o que conta é este prazer mental de ler algo escrito com inteligência e humor.

Abração, guri. Vera

Lucão disse...

Obrigado, Vera e Medina.
Que legal a visita de vocês!
Sejam bem vindos e leiam à vontade.
:)

Kássia Reis disse...

Gostei da tua confusão!! Muito bom o seu blog,obrigada pelo convite pra conhecê-lo! Vou votar.Beijão!!

Marta disse...

Que trem bunito esse, seu moço.

Oh orgulho!

iuLa disse...

Já que é nosso, eu amei.
=D