6 de nov de 2009

Ao Pé da Letra












Telefone toca, moça atende e do outro lado da linha alguém fala:
- Boa tarde.
- Obrigado!
- (...)  quem fala?
- Todos!
- Todos o que?
- Todos falam. 
- Ahm???
- Você me perguntou quem fala, eu respondi que todos. Todos falam. Tirando os animais irracionais, é claro.
- Ahm... Tá! eu gostaria de falar com o Márcio.
- Que bom! O Seu Márcio é mesmo um cara bacana. Muita gente gostaria de falar com ele, sem dúvida. E você quer deixar isso registrado? como é?
- Olha! Não estou entendendo muito isso daqui, mas o Márcio está?
- Onde?
- Onde o que? 
- Você me perguntou se o Márcio está e eu te perguntei "onde?". 
- Aí, poxa!  Ele está aí? 
- Está, sim senhor.
- (...) Alô?
- Opa! 
- E o Márcio?
- O que tem o Seu Márcio?
- Você pode ir chamá-lo, por-fa-vor?
- Depende. Você quer que eu o chame quando?
- Se puder ir agora, nesse exato momento, eu agradeço.
- Ah tá. Então liga mais tarde que agora eu não posso não. A cozinha está cheia de louça suja pra eu lavar e eu ainda tenho que arrumar o quarto dos meninos. 
- Olha, sem querer ser chato, mas eu só vou pedir mais uma vez. Eu preciso falar com o Márcio!
- Está bem! 
- (...) Alô? 
- Opa.
- Você não foi chamar o Márcio???
- Olha, doutor. Não estou entendendo mais o senhor. Primeiro Você disse que só ia pedir mais uma vez. Agora, está aí falando de novo e de novo...
- Céus! Moça, pode deixar. Esquece que eu liguei. Eu só queria... Eu gostaria só de... É que eu quereria... Hunf! Tchau!

2 comentários:

iula disse...

uhsaiuhsiuahauish. Que agooniaa!

Cecilia Patriota disse...

Muitoooo Bom...
Otimo...
Adorei...
=)