10 de fev de 2010

Encontro das Águas

É no encontro das águas,
Que escorrem de dois corpos,
Que as mágoas se divergem.

6 comentários:

Lucas Jung® disse...

Profundo, Poético, Reflexivo e Emocionante. Gostei, Xará!
Sucesso!

Vera Celms disse...

OU CONVERGEM... NÃO SE ESQUEÇA DO PRINCIPIO DA VIDA!!! BEIJOKAS LUCÃO...

Lucão disse...

ahm... é vero, Vera. Mas é tb quando duas pessoas se amam que suas mágoas se distanciam, nom né vero too?
:)
beijos!

Vera - com carinho do sul do BR disse...

E neste tremendo e emocionante encontro, as águas escorrem pro ralo, pro raio que as carreguem. Nada de mágoas, que as danadas merecem ser esquecidas, depois destre encontro memorável, gostoso,
precioso. Xô, mágoas! O que merece ficar é o calor, o sabor desta união de dois corpos. Quem guarda mágoas se magoa em vão.
Beijos e bons encontros a todas e todos.

Vera - pedindo desculpas pela falha..perdão disse...

Perdão, errei ( a pressa é inimiga dos desatentos e distraídas apressadas, que é meu caso)
No primeiro período, são as MÁGOAS que devem escorrer pelo ralo e que vão pro raios que as partam, carreguem, etc.
Prometo ser mais cuidadosa.
Desculpas. Vera

beserra disse...

"Prosa e verso"
nota dez...