19 de jan de 2010

Amores



Existem amores
Que me deixam doído,
Que fico sem jeito 
De dizer adeus.

Existem amores

Que me deixam doido,
Que fico com jeito
De um semideus.

3 comentários:

Vera Celms disse...

Lucão, permita-me usar a sua inspiração para uma nova?

ESCONDE-ESCONDE

Tem uns amores,
Que me deixam louca,
Atirando pedras pelas costas,
Querendo fazer justiça com minha mão,
Louca pra dizer adeus,
Vai logo, até nunca mais...
Uns outros passam,
Pouca diferença fazem,
Poucas lembranças jazem,
Ficaram no semi-adeus
Poucos me deixaram louca,
Tentando recolher as pedras,
Tentando reconstruir com elas um caminho
Mas, viraram meio que semi deus
Jamais diria que fosse, ciao
Mas tem um outro tipo de amor,
Que veio, por perto passou,
Nem olhou, só vislumbrou,
Deixou no ar o rastro de um perfume,
Ou do cio,
Cantou, fez versos,
Deixou um gosto de quero mais,
Deixou a mão estendida,
Mas fora de alcance,
Quando vou, vai,
Quando não vou, vem,
Isso me deixa louca,
Hajam amores...

Vera Celms

Lucão disse...

ô, verinha!
como sempre tu foi fera!
:P
não dá pra enumerar os tantos amores que existem, né?

Valeu, Verinha. Mto bem!
Gosdocê!

Rubo Medina disse...

Amores são amores. Não importa o que ele proporciona, nesse caso. Abração, Lucas.